top of page

Imagina quantos já vivenciaram aquele irmão ou irmã invejosa e ciumenta em suas vidas

Na realidade, a família que normalmente é constituído por um pai e uma mãe e os seus filhos (as), uma relação familiar que constitui na vida de cada um, o primeiro exemplo e o mais importante na sociedade, esse núcleo familiar, é o alicerce para uma boa convivência em sociedade.



Mas o que dizer, quando a primeira família, a família da base cristã, Adão e Eva tiveram em sua família a inveja, o ciúme entre irmãos, levando um a matar o outro, um ódio e raiva construído pela inveja e pelo ciúme, como pode ser facilmente constado no relatado do livro do Gênesis capítulo 4 e seus versículos:



Portanto, se formos considerar que de fato a humanidade surgiu de Adão e Eva, então boa parte da descendência da humanidade foram construídas em cima do ódio, da inveja, do ciúme, da morte e destruição entre familiares, isso sem dizer de outras relações que nem são relatadas na biblia e que uma boa maioria prefere ignorar e fazer de conta que nem existiu, mas a biblia é considerada pelo mundo cristão a verdade da criação da humanidade.


Na mesma biblia podemos encontrar diversos registros de inveja, ciúmes e ódio entre irmãos, mas para nem se tornar maçante, vamos apenas pegar mais o exemplo ainda no livro de gênesis, capítulo 37 e seus versículos:


19 "Lá vem aquele sonhador!", diziam uns aos outros. 20" É agora! Vamos matá-lo e jogá-lo num destes poços, e diremos que um animal selvagem o devorou. Veremos então o que será dos seus sonhos." 21Quando Rúben ouviu isso, tentou livrá-lo das mãos deles, dizendo: "Não lhe tiremos a vida!" 22 E acrescentou: "Não derramem sangue. Joguem-no naquele poço no deserto, mas não toquem nele". Rúben propôs isso com a inten­ção de livrá-lo e levá-lo de volta ao pai. 23 Chegando José, seus irmãos lhe arrancaram a túnica longa, 24ª agarraram-no e o jogaram no poço, que estava vazio e sem água. 25 Ao se assentarem para comer, viram ao longe uma cara­vana de ismaelitas que vinha de Gileade. Seus camelos estavam carregados de especiarias, bálsamo e mirra, que eles levavam para o Egito. 26 Judá disse então a seus irmãos: "Que ganharemos se matarmos o nosso irmão e escon­dermos o seu sangue? 27 Vamos vendê-lo aos ismaelitas. Não tocaremos nele, afinal é nosso irmão, é nosso próprio sangue". E seus irmãos concordaram. 28 Quando os mercadores ismaelitas de Midiã se aproximaram, seus irmãos tiraram José do poço e o venderam por vinte peças de prata aos ismaelitas, que o levaram para o Egito.


Portanto, a biblia traz os relatos da inveja, ciúmes e ódio entre irmãos, desde os inícios dos tempos de fundação do mundo, conforme registro do livro do Genesis, mesmo hoje, é difícil encontrar alguma família que em algum momento nem houve inveja, ciúmes e ódios entre irmãos, levando a agressões físicas, mortes e agora de outro modo, ataques da moral e massacre em redes sociais e distribuído muitas das vezes por outros hipócritas e medíocres que nem imagina que a roda da vida nem para e cedo ou tarde trará de volta a mesma situação em seus núcleos familiares.


Mas para piorar mais ainda a mediocridade e hipocrisia destas situações, é quando essa inveja, ciúmes e ódio entre irmãos e irmãs são exploradas, por autoridades, por políticos sem vergonha, políticos vagabundos e corruptos, que tem a ousadia de dizerem que uma situação desencadeada em uma briga familiar é mais grave do que os descasos com os recursos públicos, claro, sempre tem os compinchas destes corruptos e bandidos que se prezam ao serviço de tentarem dizer que uma briga familiar é mais importante do que o combate a corrupção e a roubalheira dos recursos públicos.


Alguns políticos safados, bandidos e corruptos, chegam ao ponto de encomendarem matérias criminosas baseado em mentiras, e até baseado em brigas iniciadas por ciúmes e inveja entre irmãs ou irmãos, (mas o preço pela difamação e calunia, pode atrasar mais vai chegar) simplesmente para tentarem esconder as suas incompetências enquanto gestores públicos, esconderem as suspeitas de roubos e corrupções que assolam suas administrações, esses políticos deviam entenderem primeiramente a grande diferença que existe entre vida privada e vida pública, mas para esses políticos safados, corruptos e bandidos, parece que a vida deles é vivenciada aos custos dos recursos públicos, por isso eles nem entendem o limite entre suas ações privadas e públicas, e mostram isso quando confundem a vida privada e familiar dos outros como se fosse de interesse público.


Por: Maurilio Trindade Aun

Licenciatura plena em matemática e acadêmico em direito na Unemat













Comments


Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg
bottom of page