top of page

Por acaso você faz autoajuda diariamente para mudar a sua vida

Somente obtém autodesenvolvimento aqueles que todos os dias fazem o seu processo de autoajuda


Uma das coisas que abunda hoje em dia são informações, todavia, no mesmo ritmo ou até mais, abunda pessoas ignorantes, pobres de conhecimentos, como pode isso ser possivel?


Muitas pessoas no seu auge de ignorância têm repugnância pela palavra autoajuda, mas claro, conscientes ou inconscientes é porque elas próprias nem praticam a autoajuda.



Se formos pesquisar, ler nos dicionários, encontramos as definições para autoajuda:



Ora, como podemos observar acima, autoajuda é uma prática pessoal, portanto, nem um livro, nem um guru, enfim, ninguém pode fazer autoajuda pessoal para nós, pois é uma ação pessoal, logo nem existe livros de autoajuda, mas qualquer livro que nem traga informações, orientações, conselhos, técnicas e práticas que possamos fazerem a autoajuda, ele nem serve para nada na realidade, portanto, se queremos mudar de realidade, pratiquemos a autoajuda diariamente, lendo, meditando, estudando, fazendo exercícios, fazendo o “bem ao próximo”, orando, rezando, enfim, procurando a cada dia ampliarmos os nossos conhecimentos, e assim, mudarmos as nossas práticas diariamente.



A orientação para as pessoas começarem e terminarem os seus dias com uma “oração” e/ou rezarem é uma orientação para as pessoas praticarem a autoajuda, a orientação para as pessoas agradecerem a tudo na vida, orar e/ou rezarem pelos alimentos é para as pessoas praticarem a autoajuda, enfim, muitos capítulos da bíblia, um dos livros mais propagado no mundo, nem é um livro de autoajuda, mas se as pessoas colocarem em prática muitas orientações contidas na bíblia, realizarão a autoajuda.


Da mesma forma, os livros usados nas escolas, os livros técnicos, os diversos livros usados nas universidades e faculdades, os livros usados nas denominações religiosas de todos os credos, enfim, nem existe livros de autoajuda, mas praticamente todos trazem informações, dicas, orientações e práticas que as pessoas podem fazerem a autoajuda, e desta forma, mudarem a sua vida e saírem da zona da ignorância, da falta de conhecimentos, do sofrimento mental e emocional, enfim, da pobreza de conhecimentos, da pobreza emocional e da pobreza mental, pois os verdadeiros “ricos” são aqueles que alimentam a sua “alma” com conhecimentos que nem a “morte” pode lhe tirar, pense nisso, e comece de fato a praticar a autoajuda.


Claro, muitos autores, escritores e ate editoras colocam diversos livros nomeados de “autoajuda”, mas isso é uma nomeação errônea, pois nem um livro ou pessoa pode ajudar ninguém se a pessoa nem pegar o livro e ler e colocar em prática as informações e orientações, ou seja, cada um deve fazer o seu processo de “autoajuda”, e por outro lado, chamar um livro de autoajuda é como se o livro se auto ajudasse, o que é um absurdo, pois os livros ainda nem possui capacidade de se auto ler, raciocinar, pensar e evoluir, mesmo assim, trazemos algumas imagens de livros “taxados de autoajuda.



Assim, como, tem diversos outros livros que uma grande maioria das pessoas não pensam ou até admitem que eles possam ser ferramentas com informações, orientações, práticas para as pessoas realizarem em si o processo de autoajuda, ou seja, apesar de nem um livro em si mesmo ser de autoajuda, mesmo assim, praticamente todos podem ser usados pelas pessoas para a sua transformação em um processo de autoajuda, e nesses livros entra todos os didáticos, religiosos, de meditação, enfim, uma gama de livros muito grande, mas que depende de cada pessoa de fato ler, praticar e meditar no seu dia a dia as informações trazidas nos mais diversos livros, entre os quais está também o livro Mestres e Guardiões de Si, pensado e escrito por Elizangela Trindade, confira o livro aqui e compre o mesmo na Amazon, ou na editora UICLAP ou ainda direto com a escritora (66) 98421-4870, mas lembre sempre, nem existe auto desenvolvimento sem o primeiro passo da autoajuda.


Claro, o objetivo desta reflexão e trazer luz a um campo de ignorância, pois muitos escritores, alguns até de renome nacional reverberam o preconceito contra a expressão “autoajuda”, e por outro lado, muitos que produzem conteúdos em canais do Youtube começaram a fazerem campanha contra “livros de autoajuda”, primeiro, demonstrando uma completa ignorância, pois nem existe livros de autoajuda, e os mesmos deveriam explicar ou pelo menos tentar explicar, que os livros podem ser ferramentas, podem servir para as pessoas praticarem a autoajuda, claro, se é que de fato entendam as diferenças, entre as expressões ajuda e autoajuda, pois tudo de uma forma ou de outra, ajuda as pessoas a mudarem, mas somente cada pessoa pode praticar a autoajuda, entenda, pense e sai da zona da “escuridão”.


Por: Maurilio Trindade Aun

Jornalista com habilitação plena em matemática e acadêmico no oitavo semestre em direito na Unemat

Comments


Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg
bottom of page