top of page

Imaginar uma sociedade melhor e menos ignorante de como funciona as existências

Seria ótimo se apenas imaginando e pensando fosse possível mudarmos uma sociedade, na realidade, nem conseguimos mudar qualquer pessoa que mora na mesma casa, mesmo filhos (as) nem conseguimos fazer muita diferença ou mudanças, até mesmo enquanto professores, a mesma situação, ou seja, ninguém consegue absorver qualquer coisa por ninguém, ninguém consegue se alimentar e respirar por ninguém, cabe a cada um fazer o “seu trabalho” e construir o seu céu e inferno nas “rodas das vidas”.



Todavia, nas “rodas das vidas”, difícil imaginar como pessoas que se consideram superiores e pensantes pode construírem cada vez mais armas e mecanismos de destruição. Nem um outro animal considerado inferior e “não desenvolvido” fazem isso.



Poderia ser somente uma imaginação de que pessoas que se dizem pensantes e inteligentes e que serve ou acreditam em um ser superior, pudesse se organizarem e pegarem armas e destruir outras pessoas somente por terem menos recursos financeiros, ainda vão e lhes agridem e tomam o direito a vida, por ter cor de pele diferente, por pensarem diferente, enfim, até por supostamente servir “outros deuses” precisam ser exterminados, haja ignorância mesmo.



Os assassinatos e homicídios são apenas uma expansão desta estupidez do animal humano, inclusive, incentivado de forma direta e indireta nas supostas notícias propagada na sociedade, filmes, novelas, desenhos, enfim, mostrando que são em muitos casos até piores de que muitos animais ditos inferiores.


Todavia, essas pessoas ignoram, mais todos esses que hoje são pessoas, mais agem piores ou igual a animais inferiores, acredite ou não, retornarão ao nível que lhes convém, como animais irracionais, ou exatamente na pele e situação daqueles que foram suas vítimas, ou seja, os algozes de hoje serão as vítimas de amanhã, até o momento em que o ciclo de ignorância e estupidez seja superado pela elevação de compreensão e entendimento pelo próprio indivíduo.



Aliás, nesses tipos de sociedades, as notícias de “desgraças” fluem na maioria dos veículos de comunicação e nas redes sociais, inclusive, muitos procuram as “desgraças” para distribuírem e buscarem o ibope, todavia, como pode uma sociedade dizer ou pensar que está evoluindo, mas achar natural em distribuir "os lixos" e "as carniças" pelas ruas como algo natural?


Claro, muitos dirão, ora tem coleta de lixos e instalação de tratamento de lixos e de materiais orgânicos, em parte verdadeiro, mostrando que uma sociedade mais evoluída trata e trabalha os seus “lixos” e “carniças”.



Todavia, esquecem dos “lixos” e “carniças” que abundam nas redes sociais e nos veículos de comunicação, servindo para muitos como modelos para cometerem assassinatos, homicídios, traição, roubos, violências sexuais, enfim, está evidente que quando começam a se propagar a distribuição de “lixos” e “carniças” nos veículos de comunicação e nas redes sociais, as mesmas situações tende em aumentarem, ao invés de diminuírem, mas mesmo assim, muitos nem entenderam ainda que a propagação de ondas de qualquer situação, somente tende aumentar aquele distúrbio, ao invés de diminuir.


Portanto, qualquer um, família ou sociedade que distribuem e propaga “os lixos”, somente poderão ter mais do mesmo “lixo”, isso é obvio, logo, estranho muitos dizerem que desejam uma sociedade e família melhor, se são os primeiros a apreciar e distribuírem “os lixos”?


Pessoas que agem assim, somente demonstram o quanto são doentes e ignorantes de que nem poderão fugir do que propagam e que as ondas vão, mais um dia voltam, igual aos ciclos da água que sobe e desce, pois estamos em um sistema fechado, e gostando ou não, na “roda das vidas”, os que estão em cima hoje, amanhã estarão embaixo, é assim a roda das existências que se repete há muito tempo, mas “o sono” profundo na matéria impede que a maioria entendam que em algum momento plantaram e estão plantando o que terão que reviver em algum tempo, ou seja, nem existe “inocentes” nessa realidade.



Por isso, hoje os que julgam serão julgados amanhã, os que hoje mata, serão mortos amanhã, os que hoje perseguem, serão perseguidos amanhã, os “ricos” que exploram hoje, serão os explorados de amanhã, enfim, entenda ou não, pouco importa, “nesse jogo” é assim e continuará sendo assim, pouco importa se acreditam ou entendam.


Pior ainda, ninguém vai lhe salvar, ledo engano, cada um precisa trabalhar sobre si mesmo, trabalhar as suas energias, seu corpo mental e emocional e físico, ou seja, tudo precisa ser construído com muito trabalho e dedicação em qualquer realidade, todavia, a maioria preferem “descer o rio” ao invés de nadar contra a correnteza dos desejos, vaidades, irá, ódio, preguiças, gula, cobiças, enfim, o “dono deste jogo”, tem um monte de “jogadores” de todos os níveis, mas pouco importa o quanto seja um “bom jogador”, jamais será o dono do jogo nesse caso.


 

Por: Maurilio Trindade Aun

Jornalista empresário com licenciatura plena em matemática e acadêmico em direito na UNEMAT

Comments


Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg
bottom of page