top of page

Eleição deste ano em Porto dos Gaúchos parece que nem será das mais calmas



Agora chega à denúncia de que o atual presidente do poder legislativo de Porto dos Gaúchos estaria fazendo propaganda eleitoral usando o espaço do poder legislativo e Ong em defesa dos animais.


De acordo com a denúncia que nós foi encaminhada, o presidente da Câmara de Vereadores de Porto dos Gaúchos/MT, Sr. Leandro Budke, está utilizando nome de uma nobre ONG para realizar atos de politicagem eleitoral.


Inclusive, dizendo que ele está usando o nome da ONG para assediar eleitores utilizado como palanque a mencionada ONG.


Os (as) denunciantes (as) dizem que o assédio está tão descarado, pois estaria utilizando, inclusive, o prédio público para a prática de tal ato, e para isso encaminhou algumas imagens para comprovar a denúncia.


A denúncia encaminhada diz que o presidente da Câmara de Vereadores de Porto dos Gaúchos/MT, está utilizando uma ONG tão nobre e idônea para angariar de forma dolosa e desleal votos, antecipadamente.


Aliás, a denúncia encaminhada a essa redação diz que alguns dos próprios membros do conselho da ONG, estão ameaçando se desligarem, uma vez que não suportam mais a utilização de forma ilegal, irregular e desleal que o Sr. Leandro Budke, está utilizando o nome da ONG.



Claro, moradores (as) que encaminharam a denúncia pediram sigilo, obviamente, com medo de ameaças, represálias ou perseguição, aliás, disseram que algo similar foi denunciado ao Ministério Público ainda no começo do mês de fevereiro, a onde também pediram sigilo.


Diante da situação, entramos em contato com o vereador citado, para ouvir a versão sobre os fatos do mesmo, entretanto, o vereador se limitou a dizer que deu as respostas  ao Ministério Público (MP), dizendo ser um documento sigiloso e me questionando como eu teria o acesso, dizendo que esse documento quem me passou deveria ser o denunciante, pois a foto que eu teria enviado ao mesmo estaria no pedido da promotoria, e que saindo em mídia e matéria, me interpelaria judicialmente, buscando saber quem é ou quem são as pessoas que me passaram a denúncia.


Ora, o vereador de certa maneira procurou me intimidar para nem divulgar a matéria com as informações que os (as) denunciantes fizeram, esquecendo que os (as) denunciantes solicitaram sigilos, assim como, ao fazerem as denúncias ao Ministério Público, todavia, o sigilo somente é para preservar as pessoas que fizeram as denúncias, provavelmente por medo de represálias, perseguição ou ameaças, entretanto, os fatos em sim nem cabe sigilo, pois envolve um espaço público, envolve pessoa com ação pública, envolve recursos públicos, nem tem nada de particular, nada de vida privada e muito menos da vida intima e/ou familiar do vereador, portanto, o sigilo somente protege ou deveria proteger os (as) denunciantes, mas jamais o denunciado nesse caso.  



Claro, no final o vereador me passou o telefone da promotoria, pois ao invés de dar as suas explicações, estranhamente queria que eu entrasse em contato com a promotoria, ora, quem fez os encaminhamentos a redação foi morador, portanto, devo questionar ao vereador e não a promotoria, pois a priori, a promotoria nem responde pelo vereador e a denúncia nem é sobre a promotoria, obvio, vamos ver no final qual será o posicionamento do (a) representante do Ministério Público, mais daí é outra situação a ser analisada.


Por: Maurilio Trindade Aun

Comments


Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg
bottom of page