top of page

Artigo: É sábio o dito vigiai e orai, 'Cuida o que pensa, cuida o que fala'

Nas sendas da existência, não raro, há companheiros valiosos que adotam queixumes e reclamações como estratégia de convivência cotidiana. Infelizmente não percebem que lançam sombras e neblinas sobre suas próprias possibilidades de conquistas. Adensar o azedume interior apenas vinagra o ânimo, a perspectiva afirmativa, a deterioração da cooperação e do espírito de luta. Ficar em silêncio quando não se tem nada de positivo pode ser vital para não levar à desesperação futura àqueles que faltam o arrimo para as conquistas maiores.

Ajuda também a palavra amiga, o consolo legítimo, o olhar de bondade que aquece a solidariedade por meio do reconhecimento da transitoriedade da situação penosa e que dias melhores virão para todos. A caminhada é cheia de percalços e de surpresas. Dobrar a curva, mudar de perspectiva, ressignificar traz o frescor de novas ideias, a energia que anima, a certeza das conquistas e que os recursos internos dão conta dos problemas. E, caso ainda reste alguma dúvida, que a amizade, a simpatia de pessoas afins possa complementar a segurança requerida e a convicção de que a pessoa é capaz.

Como autêntica estratégia do girassol, devemos refletir apenas o lado luminoso e produtivo para que as realizações venham a contento. Mais do que perceber a realidade, compreender que o importante são os resultados atuais ou vindouros e as vitórias pessoais, mesmo que ainda em pequena monta. O relevante é manter-se na trilha do progresso, rumo a infinita bondade de Deus.

Paulo Hayashi Jr - Doutor em Administração - Professor e pesquisador da Unicamp.

Título Original: Mulmúrias e Lamentações. Titulo adaptado: É sábio o dito vigiai e orai 'Cuida o que pensa, cuida o que fala'


Comments


Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg
bottom of page