top of page

A verdade e as mentiras sobre perdas de receita dos municípios


Virou moda neste ano de 2023, com a vitória do presidente Lula, líder do partido dos trabalhadores (PT), o jargão de alguns prefeitos alegar que os municípios estariam passando por dificuldades financeiras, por crises resultantes de perdas de receitas.



Todavia, está evidente uma certa estabilidade de preços, bem diferente de anos anteriores, pois era corriqueiro ver que muitas administrações municipais faziam licitações e poucos meses depois a empresa vencedora acabava nem realizando os serviços ou era obrigado a fazer aditivo ao contrato para o mesmo serviço, pois os materiais teriam aumentado demasiadamente em pouco meses.


Por outro lado, ao verificarmos a realidade das receitas dos municípios, as tais perdas de receitas que ocorreram em alguns casos nem condiz com a realidade propagada por alguns gestores, ou seja, virou moda alguns administradores municipais recorrerem as mentiras para cortar alguns fornecedores e até atrasar ou deixar de realizarem algumas obras, portanto, as famosas mentiras de alguns políticos que demonstram serem doutor em ludibriar e enganar a população.


Vamos aqui trazer a receita de cada município registrado junto ao Tribunal de Contas do Mato Grosso (TCE) no caso da nossa abrangência de trabalho com o jornal impresso, e levando em conta algumas conversas que ouvimos de alguns gestores, claro, aqui sem nomear cada um, vamos deixar isso para o momento certo, que será mais próximo as eleições do próximo ano, quando alguns prefeitos propagadores de crises e mentiras, que usam o poder público para perpetuar perseguição, e ainda muito ruins de serviço, os quais precisarão ser trocados pela população de suas localidades.


Por outro lado, a maioria dos municípios já informaram a receita dos primeiros oito meses, mas tem alguns municípios que estão com essas informações desatualizado junto ao TCE.


Ao fazermos algumas contas por cima, verificamos que a maioria dos municípios do Vale do Juruena tiveram aumento de receita, exceto o município de Cotriguaçu que teve uma pequena diminuição de arrecadação e no caso de Juruena, fica difícil termos o comparativo dos primeiros 8 meses, pois está com apenas os primeiros 4 meses deste ano devidamente atualizado, e se for comparar somente os 4 meses deste ano com os do ano passado, nem houve diminuição de arrecadação.


Ou seja, no Vale do Juruena os municípios de Juína, Castanheira, Colniza, Aripuanã e Brasnorte houve aumento de receita, como podem ver e somar nas tabelas abaixo (Tornado imagens nessa postagem) recortadas direito do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso.


Já no vale do Arinos, o município de Juara teve aumento de receita, o município de Novo Horizonte do Norte teve uma boa diminuição de receita, o município de Porto dos Gaúchos também teve uma pequena diminuição de receita, e o município de Itanhangá também teve uma diminuição, como podem conferir os cálculos nas tabelas ainda nessa matéria.


Os leitores e interessados podem somar as receitas de cada mês nas tabelas abaixo, primeiramente trazemos a comparação de cada município do Vale do Juruena e depois os municípios do Vale do Arinos, inclusive Itanhangá que pertence ao Vale do Teles Pires, o qual trazemos também, pois faz parte da nossa região de trabalho com o jornal impresso, sendo um município que tem uma das melhores administrações municipais na história da localidade.


Juína comparando os primeiros 8 meses do ano de 2022 com os primeiros meses de 2023, sendo a primeira tabela as receitas dos meses de 2022, enquanto a segunda do ano de 2023.



Teve aumento de receita, basta os interessados somar as receitas de mês a mês e chegará ao fato de que em 2023 houve um pequeno aumento de receita.


Castanheira comparando os primeiros 5 meses do ano de 2022 com os primeiros 5 meses de 2023, sendo a primeira tabela as receitas dos meses de 2022, enquanto a segunda do ano de 2023.


A localidade também houve um pequeno aumento de receita, basta somar os meses informados ao Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso.


Juruena comparando os primeiros 4 meses do ano de 2022 com os primeiros 4 meses de 2023, sendo a primeira tabela as receitas dos meses de 2022, enquanto a segunda do ano de 2023.


Juruena também houve um aumento de receita se somarmos os meses informados ao Tribunal de Conta do Estado, apesar que estranhamente é um dos municípios da região com maior atraso nas informações de receita ao órgão fiscalizador.


Cotriguaçu comparando os primeiros 8 meses do ano de 2022 com os primeiros 8 meses de 2023, sendo a primeira tabela as receitas dos meses de 2022, enquanto a segunda do ano de 2023.


O município de Cotriguaçu, a priori teve uma perda de receita, pois em 2022 nos primeiros 8 meses teve o valor de 49.883.973,45 e como neste ano de 2023 houve uma receita de apenas 47.549.871.73, logo houve uma diminuição de receita de 2.334.101,72.


Colniza comparando os primeiros 8 meses do ano de 2022 com os primeiros 8 meses de 2023, sendo a primeira tabela as receitas dos meses de 2022, enquanto a segunda do ano de 2023.


Colniza foi outro município que também houve aumento de receita, os interessados podem somar e chegará ao valor de receita do ano de 2022 que foi menor do que os 101.726.097,35 deste ano de 2023


Aripuanã comparando os primeiros 8 meses do ano de 2022 com os primeiros 8 meses de 2023, sendo a primeira tabela as receitas dos meses de 2022, enquanto a segunda do ano de 2023.


Aripuanã foi outro município que também houve aumento de receita, os interessados podem somar e chegará ao valor de receita do ano de 2022 que foi menor do que os 125.870.982,59 deste ano de 2023


Brasnorte comparando os primeiros 6 meses do ano de 2022 com os primeiros 6 meses de 2023, sendo a primeira tabela as receitas dos meses de 2022, enquanto a segunda do ano de 2023.


Brasnorte foi outro município que também houve aumento de receita, os interessados podem somar e chegará ao valor de receita do ano de 2022 que foi menor do que os 60.343.689.53 deste ano de 2023


Juara comparando os primeiros 8 meses do ano de 2022 com os primeiros 8 meses de 2023, sendo a primeira tabela as receitas dos meses de 2022, enquanto a segunda do ano de 2023.


Juara foi outro município que também houve aumento de receita, os interessados podem somar e chegará ao valor de receita do ano de 2022 que foi menor do que os 134.969.908,29 deste ano de 2023


Novo Horizonte do Norte comparando os primeiros 8 meses do ano de 2022 com os primeiros 8 meses de 2023, sendo a primeira tabela as receitas dos meses de 2022, enquanto a segunda do ano de 2023.


Novo Horizonte do Norte teve uma diminuição de receita significativa, pois em 2022 nos primeiros 8 meses teve uma receita de 30.591.652,14 enquanto neste ano de 2023, teve uma receita de 23.104.899,60, portanto, na região noroeste, a priori, até o presente momento registrado junto ao TCE os primeiros oito meses de comparativo foi o municipio com a maior perda de receita, pois tiveram neste ano até o momento o valor de 7.486.752,54 a menos.


Porto dos Gaúchos comparando os primeiros 8 meses do ano de 2022 com os primeiros 8 meses de 2023, sendo a primeira tabela as receitas dos meses de 2022, enquanto a segunda do ano de 2023.


Já o município de Porto dos Gaúchos também teve uma diminuição, mais se comparado com Novo Horizonte do Norte ou Itanhangá, foi bem menor a diminuição, vamos aos valores, no ano de 2022 nos primeiros 8 meses a administração pública teve uma receita de 46.377.631,45, enquanto no ano de 2023 houve até nos primeiros 8 meses a receita de 46.229.135,34, portanto, uma diminuição de 148.496,11


Itanhangá comparando os primeiros 8 meses do ano de 2022 com os primeiros 8 meses de 2023, sendo a primeira tabela as receitas dos meses de 2022, enquanto a segunda do ano de 2023.


Portanto, Itanhangá nos primeiros 8 meses de 2022, teve uma receita de 33.885.757,91, enquanto neste ano teve nos primeiros 8 meses uma receita de 33.234.324,33, logo uma diminuição de 651.433,58 de receita ao compararmos os oito meses deste ano com o ano passado.


Logo, tirando o fato de que podemos ter errado algum cálculo, por isso, cada leitor e interessado podem conferir as informações no Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso pertinente ao seu município e proceder os cálculos, mesmo assim, a maioria dos municípios houve aumento de arrecadação, como pode ser facilmente calculado, por outro lado, as perdas que alguns dos municípios tiveram passa por articulações politicas que acaba as vezes resultando em diminuição de convênios com o governo do estado ou com o governo federal, mesmo assim, somente o município de Novo Horizonte do Norte teve uma diminuição significativa na receita, e depois o município de Cotriguaçu, seguido por Itanhangá e depois por Porto dos Gaúchos, mas diante da receita dos municípios de Itanhangá e de Porto dos Gaúchos, aliado a boa articulações destes gestores, provavelmente poderão reverter a situação ate o final do ano e acabarem com receita maiores para as suas localidades no corrente ano.


Portanto, cada morador deve prestar atenção quantas vezes o seu prefeito disse que a situação estaria difícil, que a arrecadação estava caído e ruim e tirarem as suas próprias conclusões, claro, nos municípios que nem houve nada de queda de arrecadação, pois muitos além de mentirosos, podem estarem usando o jargão de dificuldades para sumir com recursos públicos, isso sem dizer do pessimismo e desmotivação que esses péssimos gestores transmite a sua população, o mais pitoresco é que alguns acham que todos que conversam com eles são tampados e ignorantes para cair nas mentiras deles, lembre e pensam bem, estes tipos de prefeitos nem podem continuarem no cargo que ocupa, pois prefeitos nem são eleitos para ficarem reclamando e achando justificativas para as suas ineficiências, pois se propuseram ser os solucionadores dos problemas de cada localidade.


Por: Maurilio Trindade Aun

Empresário, Jornalista com licenciatura plena em matemática e acadêmico no oitavo período em direito na Unemat.

Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg
bottom of page