top of page

A corrupção mostrou a cara na administração municipal de Juruena

Qualquer mudança de lei ou interpretação visando tirarem vantagem pessoal é corrupção, e no caso de Juruena, deram um “jeitinho” com uma lei para irem todos os meses com um pouco mais dos recursos públicos nos bolsos.


Ao longo de mais de 20 anos trabalhando com jornal impresso na região noroeste de Mato Grosso, uma coisa aprendi, que político corrupto e incompetente ele nem valoriza o jornal impresso, o mais engraçado é que alguns chegam ao ponto de dizer que somente escrevemos ações boas da administração se o poder público pagar, demonstrando o quanto o gestor público é um ignorante e um incompetente, pois nem uma administração pública pode pagar matéria, somente pode fazer o que está exemplificado no Art. 37 da CF/1988, ou seja, somente fazer a divulgação de mídias educativas e de esclarecimentos, orientações e fazer inclusive, o apoio cultural de incentivo da leitura e da cultura.


Esses que dizem que somente escrevemos se pagarem, chega serem uns piadistas, pois duvido que algum prefeito, político ou funcionário público faça algum trabalho de graça ao erário público, mesmo assim, nem cobramos do erário público para fazer matérias, mas nem tem porque enchermos a bola deste ou daquele político ou funcionário público, sendo que os mesmos recebem para trabalharem e nem fazem nada de graça.


Todavia, se ainda fazem o que a lei determina, investindo em divulgação de mídias educativas, orientativas, de esclarecimentos, respeitando a população e as pessoas, podemos e as vezes escrevemos algumas matérias destacando as ações, mas essas matérias nunca são cobradas, pois se nem fazem direito a obrigação de divulgar o que a lei determina, claro, se a matéria é muito particular desde ou daquele político, pode ser que esteja sendo paga, mas jamais cobrado do erário público.



Por outro lado, alguns mesmos dizendo que o município ou erário público nem tem dinheiro, sempre dão um jeitinho para criarem mecanismos para levarem para a casa sempre uma fatia mais gorda dos recursos públicos, seja através de uso de diárias ou de verba indenizatória, isso quando nem tem outros esquemas.


Esse é o caso do município de Juruena, o prefeito e sua equipe começaram com o tal ditado de cortarem despesas, mas estranhamente desde o começo deste ano, de forma ardilosa criaram uma lei visando engordar os bolsos com uma verba indenizatória, sendo 4 mil mensais ao prefeito, pior ainda, nem precisava prestar contas dos recursos públicos embolsados, inclusive, dizendo que estava cortando despesas, claro, somente cortando quando é para “os outros”, mas quando é para o bolso, sempre se dá um jeitinho.


O interessante é ver alguns prefeitos falarem que se estivessem na iniciativa privada estaria ganhando muito mais, como se alguém estivessem lhes obrigando a serem prefeitos, esses mesmos que se negam a largar o osso da administração pública, portanto, a tal hipocrisia nunca acaba, pois dar um jeitinho em leis para se beneficiarem se chama corrupção.


Na realidade, a prova de que um político é corrupto é o fato de que ele nem faz publicação de mídias em veículos de comunicação que escreve o que nem lhes agrada, eles nem gostam de jornalistas que ousam falar, escrever e apontar os maus usos dos recursos públicos, aliás, eles usam os meios, o cargo e a máquina pública a disposição dos mesmos para intimidar, encomendar matérias apócrifas, ligar para aqueles que aparecem no jornal ou veiculo de comunicação procurando convencer aos mesmos a pararem de divulgar no veículo, sabemos disso, claro, alguns falam, mas ainda nem começamos a representar contra esses políticos safados, que não contentes em delapidar os recursos públicos, ainda usam o cargo e a máquina pública para perseguir e calar os que nem lhe são simpáticos.


No caso de Juruena, um cidadão resolveu fazer uma representação ao Ministério Público, sendo que o representante do Ministério Público procurando ser coerente, primeiro fez uma recomendação ao poder público municipal que suspendesse o pagamento das verbas indenizatórias, mas parece que nem ligaram com a tal recomendação, pelo contrário, recorreram, com isso levaram o representante do Ministério Público a apresentar uma ação judicial visando brecar o descaso com os recursos públicos, e a decisão da Juíza da comarca de Cotriguaçu saiu nessa semana, agora vamos ver se o prefeito vai acatar a decisão ou vão recorrer para continuar enchendo mais os bolsos ao custo dos recursos públicos, pois para os outros nunca tem e precisa cortar despesas, mas para eles, sempre se dá um jeitinho.


Por: Maurilio Trindade Aun

Empresário, jornalista, com licenciatura plena em Matemática e acadêmico no oitavo período em direito na UNEMAT.

Comentarios


Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg
bottom of page